Marajó
edifício central das artes | São Paulo, Brasil | 2020

O projeto partiu de uma viagem à Ilha de Marajó estudando as palafitas de Pesqueiro, em Soure, Pará.

 

O desenho começou, sobretudo, da observação dessas casas. Do ritmo das ripas que compõe a fachada, no parapeito, no alpendre ou no corrimão.

 

Destes grafismos e também do desenho da ação da água sobre a areia, foram elaborados uma série de padrões usados no mural.

 

1500 peças, ladrilho hidráulico, 6 módulos. A disposição das peças foi desenhada com carimbos.